Nosso Desafio:

Nós da CETA Jr. iniciamos o ano de 2017 com os maiores desafios de nossa história. Em 2016, crescemos cerca de 400% em faturamento e 1000% em número de projetos, o que nos levou do cluster 1 ao 3, acumulando algumas dores de cluster 2, como o aumento do ticket médio. Por isso, quando nos deparamos com a meta de alto crescimento, que consiste em 70 projetos e R$ 40.598,04 de faturamento, planejamos estratégias voltadas para o aumento do ticket, visto que a chegada de projetos não foi um problema no ano anterior.

Assim, ao longo do ano direcionamos nossos esforços para venda de projetos mais caros, aumentando a qualidade de nossas entregas e, consequentemente, o índice de satisfação (NPS) de nossos clientes e a quantidade de clientes fidelizados. Porém, vimos que a chegada de projetos por meio do AdGrants (nossa única forma eficaz de prospecção até então), era inconstante, o que estava tornando a meta de projetos para o alto crescimento cada vez mais distante.

Com o passar dos meses, a lacuna entre as metas de projetos e faturamento estava cada vez maior. No dia 17 de outubro, assinamos o contrato que nos fez alcançar o valor de R$ 40.600,00 de faturamento, o que fez a empresa entrar na zona de conforto, ainda que faltassem 15 projetos para o alto crescimento. Não satisfeitos com a inércia em que nos encontrávamos e sabendo da forte cultura de metas existente na empresa, decidimos entrar em estado de guerra.

A recompensa: subir no palco do Prêmio RioJunior sendo reconhecidos como uma EJ de Alto Crescimento.

A estratégia: Desafio #15em5.

Nossa Estratégia:

Faltando 5 dias para o fim do mês de outubro, com apenas 4 projetos fechados e um gap de 15 para a meta, a empresa comprou o Desafio #15em5, a fim de recuperar o tempo perdido.

Porém, o desafio não seria superado sem estratégia e foco em resultado. Por isso, escolhemos o projeto “água” de nossa carta, ou seja, aquele com baixo custo, alta demanda e negociação rápida e fácil – a rotulagem nutricional. Em seguida, mapeamos todos os clientes que já chegaram à empresa solicitando esse serviço e disponibilizamos seus contatos para os membros retomarem a negociação. Além disso, iniciamos a prospecção através das mídias sociais até então inutilizadas como Instagram e Facebook. Com uma meta tão ousada, algumas dificuldades foram encontradas pelo caminho.

Primeiramente, muitos membros não se sentiam seguros para entrar em contato com os clientes. Além disso, o desafio teve início em uma sexta feira, impossibilitando que a equipe se reunisse presencialmente. Só esses dois motivos já eram suficientes para comprometer os resultados esperados por falta de participação do time. Por isso, para gerar o engajamento necessário, foi imprescindível que, mesmo à distância, a equipe sentisse que todas as etapas do desafio estavam sendo compartilhadas. Para isso, foi a utilização da gestão à vista foi fundamental, mantendo o canal de comunicação mais informal (grupo do Whatsapp) sempre movimentado, através da atualização constante do andamento das negociações. Sempre que um cliente retornava um contato ou solicitava uma proposta, a informação era compartilhada no grupo. Além disso, a cada projeto fechado, o membro responsável pela prospecção e negociação modificava o nome do grupo, fazendo uma contagem regressiva para a meta. Tudo isso gerou motivação, pertencimento e senso de urgência em todos os membros da equipe.

Nossos Resultados:

Mesmo com muitas recusas, as respostas positivas começaram a vir. Logo no primeiro dia de desafio, alcançamos a marca de 5 projetos fechados. Esse resultado serviu para mostrar para a equipe que todas as dificuldades que achamos que enfrentaríamos eram apenas mitos, e que, de fato, tínhamos em nosso time tudo o que precisávamos para bater nossa meta. Uma vez que a equipe tomou consciência de seu potencial, o alcance dos resultados tornou-se consequência.

No segundo dia, fechamos mais 2 projetos. No terceiro, mais 4. No quinto dia, fechamos os últimos 4 projetos que faltavam, vencendo a nossa guerra, e batendo #15em5. No último dia do mês de outubro, a CETA Jr. se tornou uma EJ de alto crescimento, com 71 projetos (1 além da meta) e aproximadamente R$ 47.000,00 de faturamento.

Agora, na metade de novembro, duas semanas após o desafio, ainda estamos colhendo os frutos do engajamento e senso de urgência gerados. Até hoje (16/11), alcançamos a marca de 78 projetos e aproximadamente R$ 52.400,00 de faturamento.

Ao final do Desafio #15em5, nossa maior vitória foi conseguir trocar as desculpas por resultados e provar para nós mesmos que uma cultura bem estabelecida de foco em resultados era o maior desafio de todos. E aqui na CETA Jr. nós encaramos nossos desafios.

Acreditamos no potencial de cada empresa júnior de bater a sua meta e temos a certeza de que os 40 dias que temos, em média, para terminar 2017 são mais que suficientes para correr atrás e fazer dar certo. O Desafio tem que ser tão grande quanto #120em40. E aí, você produz ou surta?